domingo, 24 de fevereiro de 2013

A Vingança do Dentista!


Opaaa... bem, o que irei relatar aqui, é forte e denso, e possivelmente poderá causar medo e repulsa na grande maioria de vocês... então se sentem medo de visitar o dentista, não continuem lendo este post.

Na última sexta feira, em meio a um milhão de tarefas, precisei extrair meu último dente siso. confesso que nunca tive medo da tão falada cadeira de dentista e que até acho legal passar por tais procedimentos... mas, não sou sadomasoquista e odeio sentir dor.

Pois bem, sentei na cadeira e ele, lentamente foi regulando a melhor posição para manipular o procedimento. Colocou aquele pano verde (campo fenestrado) no meu rosto de forma a expor somente minha boca, nariz e olhos. Ele avisou que iria aplicar a anestesia e que isso iria doer um pouco. Por incrível que pareça, não doeu nada! O que doeu foi colocar uma espátula no canto da boca e ficar puxando como se fosse uma rédea de cavalo. Queria reclamar ou quem dar um soco em sua barriga pra ele inverter a ordem: o freno não doer e a agulha anestésica incomodar. Mas preferi ficar na minha, pois coisas piores poderiam acontecer, já que eu estava completamente indefeso.

Espatula pra cá, agulha pra lá, bisturi acolá e a auxiliar sempre sugando o que saia da minha boca... estava difícil, pois meu siso era incluso... dá-lhe anestesia!

Chegou um ponto que o anestésico fez tanto efeito que o meu palato e a base da minha língua começaram a inchar. Inchou, inchou e por mais que a auxiliar sugasse, ainda restava secreção. Me senti meio sufocado... estava com nojo de engolir. Deixei o nojo de lado e tentei engolir. Antes tivesse ficado sem tentar, pois aquela mistura de inchaço com a tentativa de deglutição me fizeram ter ânsias de vômito. E mais uma vez... e mais uma vez até que de repente eu levanto! 

Foi engraçado ver o dentista dizendo "Opa, que que é isso?" enquanto o campo e ferramentas eram arremessadas sobre o chão! Expliquei pra ele a situação e ele disse que era pra engolir pois eram apenas saliva e não tinha sangue. Pediu que eu respirasse pelo nariz lentamente e assim o fiz. Adiantou? Não! Tive que correr e ir ao lavabo tentar expelir - sem sucesso - o que tanto me incomodava.

De volta ao consultório, tentei pensar em outras coisas... e consegui ficar, mesmo com aquela sensação terrível, sentado sem sair do lugar. 

Foi aí que ele pediu à sua auxiliar um instrumento que eu percebi ser ligado à eletricidade. OMG! Ele iria se vingar da bagunça que eu fiz? Neste instante comecei a rezar. Queria dizer a ele que não foi minha intensão fazer aquela bagunça e se fosse o caso, eu faxinaria sua sala... ou quem sabe todo o consultório.

A maquininha foi ligada! fazia CUEEEIIIIM, e aos poucos ia serrando algo... CUEIM, pra cá, CUEIM pra lá e de repente fez CUOOOOOWN. Meu Deus, tá osso - literalmente. Escondi a língua do outro lado com medo dele serrá-la aos poucos. Os barulhos alternavam entre CUEIM e CUOWN. Minhas orações aumentavam e por baixo do campo eu suava feito bico de chaleira. Olhei pra ar condicionado: 17°C e eu morrendo de calor! Estava arrependido de ter ido de calça, se eu soubesse, teria ido de bermuda e camiseta. Pro meu alívio a maquininha parou.

Tentei perguntar se estava difícil, ele disse desdenhando: "Nada! Tudo sobre controle". Pensei em respirar aliviado quando ele me avisou que faria barulho de quebra na minha boca mas que não era pra eu ficar preocupado. Como assim não ficar preocupado com alguém quebrando minha mandíbula?! Rezei denovo e segundos depois escutei CRECK e ele forçando algo. Forçou novamente e CRECK! Ai meu Deus... queria sentir com a língua meus dentes, mas fiquei com medo de entre um CRECK e outro ela ser decepada.

Ele se afastou um pouco e eu já com lágrimas prontas para rolar quando ele anunciasse mais uma tortura, fiquei surpreso quando ele disse que acabou. Ufa! Havia operado, arrancado, triturado, cortado e suturado e eu nem percebi!

A vontade de vomitar voltou... porém fiquei quietinho esperando ele voltar pra sala. Vai que ele resolvesse continuar a vingança?! Quando voltou, feito um cão sem dono, pedi para ir ao lavabo e lá, sem sucesso tentei e nada.

Voltei, meio ressabiado e lá ele me deu as orientações necessárias, uma porrada de medição para uma semana e um atestado de dois dias. Desde então, estou só a sorvete... 

Sexta é o dia do retorno para retirar os pontos. Já estou aqui me preparando psicologicamente para não fazer bagunça e sendo assim, não ser causa da vingança do dentista!

6 comentários:

  1. Odeio dentista! Sem mais.
    André San - www.tele-visao.zip.net

    ResponderExcluir
  2. Olá, tudo bem? Tenho paaaaavvvoooooooor de dentista. Mas temos que encará-los... Abraços, Fabio www.fabiotv.zip.net

    ResponderExcluir
  3. Quero uma vilã dentista que vá arrancando os dentes de alguém numa próxima novela :D
    Lucas - www.cascudeando.zip.net

    ResponderExcluir
  4. Olha, eu simplesmente estava tomando meu café da manhã e quase cuspi tudo de tanto rir, do sue post.

    Muito bom, sou estudante de odontologia estou no penultimo ano e ja faço cirurgias na clinica da faculdade, de fato percebo que muitos pacientes me respeitam e me tratam bem, por medo kkkkkkkk é sério, tenho essa impressão, essa da lingua no cantinho, nunca tinha reparado. Tem paciente que não tira a lingua do dente no procedimento, é complicado.

    Sei que serei odiada pro resto da minha vida, mas tenho fé em Deus que logo vou me formar e não vejo a hora de ser odiada kkkk Beijos

    ResponderExcluir

Aguarde, em breve seu comentário será aprovado... Lembre-se que este espaço é visitado por pessoas de todas as idades e credos, por isso, comentários que ofendam a moral e os bons costumes serão rejeitados. Enquanto isso, aprecie sem moderação!